28 de maio de 2017

QUANTO GOSTO DE MIM MESMO?


"Quanto gosto de mim mesmo" é o título  do capítulo 3 do livro: "Casamento à prova de filhos",  da autora e Psicóloga clinica, Debbie Cherry. Resolvi compartilhar um pouco do que li e me edificou com o intuito de abençoar também a sua vida. O relato a seguir é parte do subtítulo: dar o que você não possui?, e serve como ilustração, reflexão ou dinâmica.

"Deixe-me repetir a minha afirmação: você não pode dar o que não possui. Um casamento é baseado no amor, compromisso e aceitação mútua. De que maneira podemos aprender a amar e aceitar a outra pessoa se não sabemos como amar e aceitar-nos a nós mesmos?... Por que nós cristãos temos tanta dificuldade em amar a nós mesmos? por que lutamos tanto para nós valorizar e nos sentir valorizados pelos outros e mesmo por Deus? Ouvi uma ilustração maravilhosa que esclarece esse ponto. quando num encontro o palestrante começou a falar, levantou uma nota novinha de 20 dólares e perguntou se alguém gostaria de ficar com ela. todas as pessoas no recinto levantaram as mãos. ele sorriu e disse: ' Está bem, mas espere só um minuto. primeiro preciso fazer uma coisa'. O palestrante então dobrou essa nota pela metade. depois de se certificar que a dobra estava bem demarcada, ele a dobrou outra vez. Ele repetiu esse gesto diversas vezes, então abriu a nota de 20 dólares, que já não estava muito lisa depois das dobraduras. Em seguida, ele perguntou quem do auditório ainda queria ficar com os vinte dólares.. As mesmas mãos se ergueram novamente. Ele sinalizou para que esperassem mais um pouco e formou uma bola com o dinheiro. Dessa vez quando tentou dobrá-la, a nota de 20 dólares estava completamente enrugada e desfigurada. Mas, quando perguntou para o auditório se eles ainda queriam o dinheiro, todos estavam mais do que dispostos para ficar com a nota. finalmente, o palestrante deixou  cair o dinheiro e começou a pular em cima da nota. Ele torcia o pé para frente e para trás desgastando a nota no chão. Quando levantou a nota de 20 dólares, já não era nem a sombra da nota que ele havia mostrado no início. Ela agora estava amaçada , rasgada e suja. Mas, mesmo com a nota num estado deplorável, todas as pessoas do auditório ergueram suas mãos indicando que gostariam de ficar com a nota. Por que você acha que isso aconteceu? É óbvio. Todos nós sabemos que o valor daquela  nota de 20 dólares nunca mudará, não importa o que tenha acontecido com ela. 
Que ilustração poderosa a respeito de auto-estima e valor pessoal. Muitas pessoas têm uma visão a respeito de si mesmas semelhantes àquela nota de 20 dólares. Nascemos puros, sem manchas e valiosos, mas, ao longo dos anos, a vida cobra os seus direitos, e, à medida que as coisas acontecem conosco ou sofremos as consequências das nossas escolhas equivocadas, ou começamos a nos sentir como trapos imundos que não têm valor algum. Mas Deus vê nosso verdadeiro valor - os eventos da vida não mudam nosso valor para Ele e não deveriam mudar o valor que damos uns aos outros". (Páginas 42-44)

Casamento à prova de filhos/ Debbie L. Cherry - Curitiba: A. D Santos Editora, 2006.

Li e gostei - MEMÓRIAS DE UM PASTOR ( Eugene Peterson)

"A igreja é composta de pessoas que, ao entrarem no templo, deixam para trás o rótulo ou a designação pela qual as pessoas da...