22 de janeiro de 2013

Cristianismo solitário - uma opção danosa.


          
          A caminhada do discípulo de Cristo é uma caminhada de comunhão. Jesus nos chamou à comunhão. É no ambiente eclesiástico que aprendemos a importância dos relacionamentos para o crescimento espiritual. É na convivência que descobrimos, que para permanecermos juntos, precisamos perdoar, cuidar, estender a mão, servir, compreender, aceitar, admoestar, visitar, repartir, etc. Não dá para aprender essas coisas vivendo um cristianismo solitário, na verdade, particularmente, eu nem acredito ser possível viver o cristianismo distante do coletivo. Perdemos muito quando nos isolamos, pois nos tornamos autossuficientes e dizemos para o próximo, que sem ele, é melhor. É aí que entramos em contradição. A palavra de Deus, nas cartas de João, repete constantemente que devemos amar uns aos outros. Como posso amar sem estar junto? Como posso amar a Deus e me declarar seguidora de Jesus, se não amo a sua criação?
          É incoerente seguir a Jesus divorciado da sua igreja. Embora existam movimentos religiosos que fazem o nosso estomago revirar, há igrejas saudáveis procurando em tudo glorificar ao Senhor. É fundamental refletir que igreja não é uma comunidade de santos glorificados, mas de pecadores arrependidos,  que foram aceitos mediante a graça do Senhor.
          É pura graça, sem ela não somos nada, através dela nos tornamos benditos do Senhor. É necessário antes de atirarmos  pedra na igreja, olharmos para o outro pelas lentes da graça, é assim que o Senhor  nos olha e nos aceita. Graça, pura graça. A graça deixa a igreja bonita, ela é o adorno da noiva de Cristo.
         Oxalá que todos os discípulos de Jesus usassem as lentes da graça para olhar para o seu irmão, teríamos mais comunhão, menos divórcios espirituais, mais apaixonados por Jesus, menos egoístas e mimados nas nossas igrejas.
          O cristão que se isola está dizendo para o mundo que é melhor do que os outros, que nenhuma igreja serve para ele, que não consegue conviver com a noiva de Cristo e por isso, se divorcia. Se não consegue caminhar com a igreja  aqui, com certeza, não vai querer morar no céu onde estarão reunidos pessoas de todas as tribos, raças e nações louvando a Deus.
          Quando um cristão diz não à igreja, quando ele se divorcia da igreja, ele deixou de ser cristão, pois não dá para seguir Jesus longe da sua igreja. Igreja é o lugar onde aprendemos o que é servir e amar a Jesus. É amando o meu próximo que amo a Deus. Na solidão amo apenas a mim mesmo, os meus valores, as minhas convicções, o meu jeito de agir, fico dessa forma mais pobre, pois é no coletivo que enriqueço a minha caminhada como pessoa.

Li e gostei - MEMÓRIAS DE UM PASTOR ( Eugene Peterson)

"A igreja é composta de pessoas que, ao entrarem no templo, deixam para trás o rótulo ou a designação pela qual as pessoas da...