20 de março de 2014

Ah! Se todos atentassem para a oração...

          “Através da disciplina da oração, os líderes cristãos devem aprender a ouvir vez após vez a voz do amor, e a encontrar lá a sabedoria e a coragem para tratar quaisquer questões que lhes aparecerem. Tratar  de questões polêmicas, sem estar fundamentados num profundo relacionamento pessoal com Deus, facilmente leva à divisão, porque quando menos esperamos o nosso ego se envolve com a nossa opinião sobre determinado assunto.
         Mas quando estamos firmemente fundamentados numa intimidade pessoal com a fonte da vida, é possível permanecer flexível sem ser relativista, convicto sem ser rígido, confrontar sem ofender, ser gentil e perdoador sem ser mole, e ser um testemunha fiel sem ser manipulador.
       Se a liderança cristã quiser ser verdadeiramente frutífera no futuro terá de deixar o campo estritamente moral e passar para o sobrenatural. ”- Henri Nouwen

FONTE: O perfil do cristão do século XXI - Henri Nouwen - Editora Atos, 2002 (Pg 29).


16 de março de 2014

Tem dia

         


          Tem dia que um vazio enorme se instala dentro da gente. O olhar perdido, a indecisão sobre o que fazer, para onde ir, onde olhar, em quem se espelhar.
       Tem dia que o vazio parece querer engolir a gente, bate o desespero da interrogação sem resposta: para onde estou caminhando? O que estou construindo?
          Tem dia em que a gente senta e olha para trás e não vê nada.
         Tem dia em que a gente olha para o espelho e não se reconhece. Para quem e pelo que vivi?
       Tem dia em que a gente acorda e percebe que enquanto viveu esqueceu de si.
        Mas tem dia, que sem saber o  porquê, a gente acorda do marasmo e percebe que ainda da tempo de mudar o roteiro, da tempo de viver, de ser feliz.

         Tem dia ...

13 de março de 2014

A alegria do evangelho

“ A alegria do evangelho é uma alegria nascida na cruz. Não é a felicidade estéril das festas de vitória, mas a profunda alegria escondida no meio da luta. É a alegria de saber que o mal e a morte não tem poder final sobre nós, uma alegria ancorada nas palavras de Jesus: ‘Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo’ (João 16:33).” – Henry Nouwen


FONTE:– Henry Nouwen de A a Z – Ricardo Bitun. São Paulo: Editora Vida Nova, 2009

Preservando a unidade

"O discípulo não pode ser comercializado, não é um produto para se comprar. As Igrejas não são "vendedoras de bens e serviços religiosos" que atendem às necessidades, caprichos, escolhas e preferências das pessoas. em vez disso, a Igreja é comissionada para ser "um corpo de pessoas enviadas a uma missão". Como consequência disso, precisamos de alimentar um povo missionário, que esteja unido para a longa jornada e que não partirá, quando surgirem as dificuldades. No momento em que os conflitos, tensões, confusões ou problemas emergem, fornecem uma oportunidade muito boa para se aprender o verdadeiro significado de ser comunidade - desde que dediquemos a energia necessária para processar a situação por completo e de acordo com a Bíblia."   - Marva J. Dawn

FONTE:  O pastor desnecessário: redescobrindo o chamado/  Peterson, Eugene e Dawn, Marva J. [rio de Janeiro]: Textus, 2001 - Pg 216  


10 de março de 2014

Metamorfose


"Quando eu era jovem, queria mudar o mundo. Tentei, mas o mundo não mudou. tentei mudar a minha cidade, mas a cidade não mudou. tentei mudar a minha família, mas a minha família não mudou. Então, eu soube: primeiro, eu deveria mudar a mim." Rabino Israel Salanter

6 de março de 2014

Quem edifica o seu lar?



        “Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.
        Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.” salmo 127: 1-2

      Acredito que o capitalismo se tornou uma religião, o deus deste século, inclusive de muitos cristãos. Vejo pais correndo de um lado para o outro no intuito de construir um lar confortável para a família. Eles fazem de tudo para colocar os filhos na melhor escola, compram a melhor televisão, as melhores comidas, o carro do ano, o celular última geração, roupas de grife, tudo para proporcionar bem estar à família. Até aí tudo bem, quem não quer o melhor para os seus? Porém, a coisa vai se estranhando, quando em nome do “bem estar” sacrificam o diálogo, a convivência, o compartilhar das experiências, as vivências do dia a dia, já que ninguém tem tempo para prestar atenção no outro. Não adianta nada se sacrificar tanto, trabalhar feito  louco, proteger a família das adversidades, blindar o lar com o esforço próprio, se Deus não estiver presente de fato. Por mais arrumado que esteja o lar, sem Cristo, ele é frágil.
        Tem muito cristão vigiando a casa em vão. Cuidam de tudo, mas não cuidam do principal: entronizar Cristo no seio da família. Na nossa igreja costumamos chamar as crianças à frente para orarmos por elas antes das mesmas irem para a Escola Bíblica. Então, perguntamos: quem trouxe Bíblia? No começo a maioria não tinha Bíblia,não porque não pudessem comprar, mas por pura displicência dos pais. Eles compram todo o material escolar, investindo em marcas famosas, mas não se preocupam em comprar uma Bíblia, muito menos em ler a Palavra de Deus em família. Famílias inteiras são assíduas na igreja, porém negligenciam a vida devocional no lar. Sentam-se em frente à TV e assistem, sem critério algum, tudo que é apresentado. É interessante que esses pais displicentes, quando os filhos crescem e começam a dar trabalho, correm para o pastor e culpam a igreja pelo fracasso no lar. Eles não fizeram o dever de casa, ou seja, o de instruir o filho no temor do Senhor.
         Não adianta nada comprar jóias, fazer viagens românticas com o cônjuge se Jesus não estiver presente, se Ele não for o centro. Alguns casais nos procuram desesperados com o casamento por um fio. Algumas vezes fico surpresa, pois acreditava que era um casal feliz, pelas fotos das viagens no Facebook, a forma como se tratavam em público; realmente as aparências enganam em muitos casos. Quando questionamos o casal sobre a vida com Deus, logo percebemos quão longe andam do Senhor. São bem sucedidos financeiramente, trabalham muito, mas negligenciaram o principal: a “boa parte” que Maria escolheu, o de sentar-se aos pés de Jesus e aprender com Ele, diferente de sua irmã Marta que priorizava os afazeres de casa. Temos muitos pais e cônjuges “Martas,” ocupados com muitas coisas, correndo de um lado para o outro, sem correr para Jesus. Não adianta. “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam...” (Salmo 127:1)
       Estamos vivendo dias difíceis para a família cristã. A família tem sido bombardeada de todos os lados com valores que fogem daqueles estabelecidos por Deus. Se não vigiarmos, a mundanização vai se instalar e fazer estragos que podem ser permanentes.  Não adianta ganhar o mundo e perder a família. Não adianta ter conforto e não ter paz, não adianta ter status e não ter Cristo.  Não adianta servir a Jesus e não confiar a Ele aqueles que amamos. Não adianta ter esperança e não descansar em Deus.
      Que abandonemos essa cultura capitalista, que apregoa que para ser feliz e bem sucedido é importante estar o tempo todo ocupado em conquistar coisas. Que encontremos tempo para a solitude diante de Deus em adoração e submissão a sua vontade. Que Jesus encontre espaço para reinar em nosso lar. Que seja Ele o alicerce da nossa casa, que seja Ele a edificar.
         Não perca mais tempo, convide o senhor para guiar os passos da sua família.




Li e gostei - MEMÓRIAS DE UM PASTOR ( Eugene Peterson)

"A igreja é composta de pessoas que, ao entrarem no templo, deixam para trás o rótulo ou a designação pela qual as pessoas da...