13 de abril de 2012

Devaneios de criança



         
        “ Ler, ler, ler, viver a vida que outros sonharam.” Unamuno acertou ao expressar o poder da leitura. Quando o livro é bom ele dialoga conosco, nos transporta para lugares impossíveis, se torna amigo, parceiro e companheiro para toda a vida.
        Quando criança me debruçava em cima dos livros e com eles fazia  viagens maravilhosas pelo mundo da imaginação. Alguns despertavam desejos só possíveis na cabeça de uma  criança. Então, nos meus devaneios de infância, eu   queria morar no Sitio do Pica-Pau Amarelo para comer os bolinhos de chuva da tia Nastácia. Quis estar no lugar de  João e Maria e me deliciar com  a casa feita de doces. Ah! Desejei ter o pó de pir lim pim pim da Emília de Monteiro Lobato e aparecer onde  quisesse e assim visitar lugares e cidades que lia nos livros.   Sonhei acordada em encontrar o Gênio da lâmpada e pedir  uma biblioteca só para mim, com estantes que iam do chão ao teto, repleto de livros ao alcance das minhas mãos. Sonhei em ter a galinha dos ovos de ouro e ficava planejando o que fazer com o dinheiro que ganharia. Também sonhei com o príncipe da Bela Adormecida, Branca de Neve...
          Criança que lê é mais feliz, sente menos solidão, tem mais esperança, sonha mais, é mais criativa. O livro tem o poder de nos transportar para outras realidades, outros mundos nem sempre possíveis nessa esfera, quando é fruto da imaginação  do autor, mas não menos importante e enriquecedor.
          Hoje ainda sonho, um sonho possível, basta força de vontade do governo, ONGs, igrejas, empresários, editoras de possibilitar o acesso aos livros para todas as crianças. Já imaginou se todos os templos cristãos do Brasil abrissem as suas portas durante a semana  e oferecessem bibliotecas para  crianças e adolescentes? Quantas deixariam de sonhar com a miséria humana e passariam a sonhar com possibilidades!? Teríamos menos pessimismo e mais esperança.

3 comentários:

Rute disse...

Quantas boas recordacoes de uma infancia mergulhada nos livros e nas historias contadas na hora de dormir ou quando a luz faltava... Eu me lembro ainda das historias ouvidas na Radio Clube de Conquista todos os dias as 5 da tarde. Nao tinhamos televisao (quase ninguem tinha) e nos divertiamos com as historias infantis no radio. Minha escolinha municipal do Bairro Jurema tinha um cesto e uma prateleira cheia de livros. Levava para casa e devorava-os todos... Que grande heranca.

Lécia Salles disse...

É uma pena Rute que hoje as crianças só vivem grudadas na televisão ou computador, graças a Deus a minha adora ler, fica doente sem um bom livro rsrs.
bjs querida

Rute disse...

Se pudessemos influenciar outras criancas a lerem ...

AS QUATRO ESTAÇÕES DO CASAMENTO - OUTONO (RESUMO)

O cair das folhas é uma analogia oportuna com o que acontece na estação do outono no casamento. No inicio do outono, o casamento pa...