8 de agosto de 2012

Preocupados e inquietos com muitas coisas


          Hoje gostaria que você fizesse uma visita comigo. Vamos visitar uma casa aconchegante e acolhedora, estou me referindo à casa dos irmãos: Marta, Maria e Lázaro na passagem de Lucas 10:38-42. Está casa era parada obrigatória de Jesus quando estava passando pelo povoado de Betânia.
          Jesus nunca viajava sozinho, estava sempre rodeado de muita gente, mas tinha uma turma em especial, que estava sempre com Ele, os seus discípulos queridos, estes seguiam os passos do Mestre de perto. Então, a visita de Jesus, não era uma simples visita de amigo, era Jesus e sua comitiva.
          Pelo fato da Bíblia se referir “a casa de marta”, nos dá a impressão que ela era a irmã mais velha e responsável pelo lar. É provável que Maria fosse a irmã mais nova, e talvez  por isso, muitas vezes, poupada das tarefas mais difíceis.
          Marta como boa dona de casa gostava de receber bem as visitas. Ela com certeza caprichava na limpeza, na alimentação e acomodação, fazia tudo para que seus hospedes pudessem ter uma estadia tranquila. Como esposa de pastor e morando a maior parte do tempo em cidade do interior, já hospedamos muita gente na nossa casa. Certa vez, morando no interior do Rio de Janeiro, numa cidadezinha chamada Sumidouro, ficamos sabendo que iriamos receber dez pessoas na nossa casa. Eles viriam de são Paulo para realizar um evento na igreja. Como a nossa casa era grande e nessas horas sobra sempre para o pastor, coube a nós a hospitalidade. Aí veio a preocupação: recém-casados, pouca experiência na cozinha, pouca grana. O que servir, como acomodar tanta gente de forma confortável, como deixa-los a vontade? Nessas horas a gente quer fazer o melhor, quer impressionar, então capricha na faxina, prepara o cardápio, as acomodações. Tudo isso, fora os trabalhos da igreja que exigia muito por ser uma igreja constituída na sua maioria de idosos. Quando os hospedes chegaram eu estava tão cansada e abatida que parecia doente e quase não aproveitei a companhia deles. Já fui Marta muitas vezes, depois a gente descobre e isso vem com a maturidade, que não precisava de tanto esforço, nem tanta comida, e que, tudo, por mais simples que seja, se feito com amor, surte um grande efeito.
          Não era a primeira vez que Jesus se hospedava naquela casa, a presença dele trazia alegria, ensinamentos, suas palavras geravam vida e Maria não abria mão de ouvi-lo. Nesse dia em especial, assim que Jesus chegou, Marta e Maria o receberam com entusiasmo, Marta voltou para terminar os seus serviços, quem sabe estava fazendo o almoço. Maria deve ter ido buscar agua na cozinha para servi-los, mas ao servir não voltou para ajudar Marta, ela se encantou com o que ele estava ensinando e sentou-se juntamente com os discípulos para ouvir o Mestre.
          Marta ficou muito aborrecida na cozinha diante das panelas. A hora do almoço chegando, muita coisa por fazer. Imagino que como muitos de nós naquela situação,  ela começou a reclamar: “ como pode, eu aqui suada, descabelada, cansada, cheirando a peixe, enquanto a linda da Maria está lá na sala no bem bom. Ah! Isso não vai ficar assim, vou reclamar com Jesus que vai repreendê-la na frente de todos. Marta não tinha entendido nada, chegou diante de Jesus e soltou a sua chateação: “ Senhor não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Diz-lhe que me ajude!”. Nesse momento penso que Jesus balançou a cabeça em sinal de reprovação e carinhosamente respondeu: “Marta, Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas, todavia apenas uma é necessária, Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.”
          Já percebeu, como nós cristãos, andamos ultimamente inquietos com muitas coisas? Vivemos em um século tecnológico, com muitas facilidades ao alcance das mãos, nos encantamos com tantas novidades que estamos o tempo todo com a sensação de que falta tempo para tudo que gostaríamos. Além disso, muitas igrejas evangélicas tem se tornado uma casa de shows, onde muitos vivem ocupadíssimos com a nova programação, ou atrás de algo novo para entreter a plateia, ops, aos membros. Mas nem sempre estar ocupado com as funções da igreja significa estar aos pés de Jesus aprendendo com ele.
          Vejo a agenda de alguns pastores e fico me perguntando quando eles arranjam tempo para meditar na Palavra e orar. São tantas viagens, programas para grava, livros a serem escritos, organizações a serem cuidadas e ainda tem os que se envolvem com a política, que imagino que leem a Bíblia e oram, só quando estão no púlpito.
         Quantas vezes agimos assim, Jesus está tão perto e não conseguimos ouvir a sua voz. Colocamos tantas outras coisas como prioridade que não conseguimos dar  importância aos seus ensinamentos. Arrumamos a casa para receber Jesus, mas não usufruímos da sua companhia, não ouvimos as suas orientações,  não deixamos Ele mudar a dinâmica conturbada da nossa casa interior.
        A visita de Jesus é especial, ela traz salvação para aquele que abre a porta e ceia com Ele, ou seja, para aquele que come e mastiga o alimento que Ele dá de graça.
        Ah! Maria, como você é sábia e que lição nos deixou! De que não adianta preparar a casa para receber Jesus se não tivermos tempo para sentarmos na sala e conversarmos com Ele, se não tivermos discernimento para entender quando é a hora de parar com tudo para ouvi-Lo.
        Quem sabe você anda insatisfeito com sua vida espiritual. Apesar de frequentar a igreja, o pequeno grupo, a escola dominical, participar do coral, do louvor, sente um vazio interior, sente que falta algo. Se parar com os ouvidos atentos vai ouvir Jesus falando mansamente: “Marta, Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas, todavia apenas uma é necessária, Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.” . Troque o nome de Marta pelo seu e deixe o Espírito Santo ministrar ao seu coração.
Abraço,
Que o seu dia seja de vitória.


2 comentários:

rosita disse...

Amei!!!!Saudades!!!!Bjs...

Lécia Salles disse...

Bjs querida Rosita.
Obrigada pela visita.

Li e gostei - MEMÓRIAS DE UM PASTOR ( Eugene Peterson)

"A igreja é composta de pessoas que, ao entrarem no templo, deixam para trás o rótulo ou a designação pela qual as pessoas da...